28 Fev

Soteria: uma abordagem diferente à crise psicótica

28 Fev

soteria-haus-400x300

A Soteria é uma pequena comunidade terapêutica para jovens adultos que sofrem de uma crise psicótica aguda.

O tratamento assenta na criação de um ambiente securizante e psicoterapêutico com recurso reduzido ao tratamento farmacológico. O primeiro projeto-piloto de 1971 foi desenvolvido em São Francisco, e em 1984 Luc Ciompi abriu a primeira casa na Europa (Soteria Berne – Suiça), que continua em funcionamento nos dias de hoje.

O principal foco terapêutico passa pela indução de um ambiente emocionalmente estável e relaxado, que não depende unicamente da utilização de neuroléticos, mas essencialmente de um “estar com” o outro, que se encontra imerso numa tensão esmagadora, criando-se um setting aberto, familiar, e protetor. Os princípios terapêuticos assentam em:

  1. Contexto terapêutico pequeno, relaxante, e protetor de estímulos externos;
  2. Cuidado personalizado, no “estar com” o paciente;
  3. Continuidade conceptual e pessoal durante todo o período de tratamento;
  4. Colaboração próxima com os familiares e pessoas de referência;
  5. Informação clara e concordante, para pacientes, familiares, e equipa sobre a doença, seu tratamento, riscos e possibilidades;
  6. Elaboração de objetivos comuns e de expetativas futuras habitacionais e profissionais realistas;
  7. Estratégias consensuais de doses baixas de neuroléticos, com o objetivo de controlo da própria medicação;
  8. Intervenção pós-alta e prevenção de recaídas durante um período de 2 anos.

A investigação científica a estes projetos tem revelado que, objetivamente e subjetivamente, os resultados são iguais ou melhores do que as abordagens de intervenção clássicas, para além de revelarem custos marcadamente inferiores.

Recentemente, foi realizado um documentário sobre o dia-a-dia na comunidade. O documentário encontra-se dividido em 3 partes, sendo que disponibilizamos aqui a última parte. Durante 20 minutos podemos assistir a uma conversa entre técnicos, familiares e quem experienciou em primeira mão uma crise psicótica. No fundo é uma partilha de histórias e de experiências, que muitas vezes se reduz a um profundo sentimento de solidão. A cisão com a realidade partilhada e com a noção linear do tempo, traduzem-se em experiências igualmente reais, mas de um elevado sofrimento individual.

A estrutura da Soteria permite uma reestruturação das funções básicas do dia-a-dia e funciona como uma âncora para a reorganização interior, focando-se na tolerância, compreensão, regras e segurança. Desta forma está sempre no horizonte de que a experiência psicótica poderá ser tratável e não apenas um “aprender a viver com a doença”. No entanto tal não significa que a vulnerabilidade deixe de estar presente e que perante fatores de risco (stress, consumos de canabis, etc) possa surgir um novo momento de crise.

Partilhe