29 Out

Será o diagnóstico um destino?

29 Out

«Este video descreve a experiência da autora em psicoterapia, começando como uma adolescente suicidária com um prognóstico reservado, com 5 anos de hospitalização, incluindo tratamento através de electrochoques que apagou parte da memória antes dos 20 anos, uma educação superior de elevada qualidade, e uma carreira profissional de sucesso…»


Esta comunicação resultou na publicação de um artigo (Let’s talk: a narrative of mental illness, recovery, and the psychotherapist’s personal treatment) no Journal of Clinical Psychology e foca a sua experiência como paciente e terapeuta, uma entrevista com Harold Searls, e uma discussão sobre os aspectos curativos em psicoterapia, o impacto do trauma precoce no desenvolvimento e o papel do estigma.


“Defenses, our symptoms, personal style and perceptions of the world are rich sources of information about old relationships and reflect past and present strengths… To focus on symptoms is a trap. Its by setting labels aside, by paying attention to the person right there and holding yourself open to possibility, that you can save the lives of people like me.”

Partilhe